Atenção: Para imprimir este artigo sem cortes clique no ícone da impressora >>>>
 

DISLEXIA NA ESCOLA

Eliane Pisani Leite


Antes de falarmos de Dislexia na escola, seria bom uma breve recordação do que vem a ser dislexia. Entre inúmeras definições vamos nos ater na definição dada pela Associação Brasileira de Dislexia – 2.002.
“Ao desmembrarmos a  palavra, de imediato temos a primeira noção básica do que vem a ser dislexia.
DIS = distúrbio, dificuldade
LEXIA = leitura (do latim) e/ou linguagem (do grego)
DISLEXIA = distúrbio da linguagem.
Embora etimologicamente Dislexia seja traduzido do latim e do grego como distúrbio de linguagem, esse termo foi adotado para denominar um distúrbio específico na aquisição da leitura e escrita. Isso não implica que, ao menor sinal de dificuldade nessa área, possamos identificar um indivíduo disléxico. São várias as causas que podem intervir no processo da aquisição da linguagem, por isso se torna tão importante um diagnóstico preciso realizado por uma equipe multidisciplinar e de exclusão.
Seria muito importante que todos os professores soubessem o que é dislexia. Com a devida orientação, o aluno conseguirá ser bem sucedido em classe.

Algumas dicas:
-Dê ao aluno disléxico um resumo do curso;
-Avise no primeiro dia de aula sobre o desejo de conversar com o aluno individualmente;
-Detalhe no início do curso, todas as exigências, inclusive a matéria a ser dada;
-Use vários materiais de apoio para apresentar a lição à classe, como: lousa, projetores de slides, retroprojetores, filmes educativos, demonstrações práticas e outros recursos multimídia;
-Introduza o vocabulário novo, ou técnico, de forma contextualizada;
-Evite confusões, isto é, dando instruções orais e escritas ao mesmo tempo.
 
Quanto à leitura:
-anuncie os trabalhos com antecedência, para que a criança disléxica tenha tempo de se organizar;
-proponha dinâmicas de grupo, entrevistas e trabalho de campo;
-Dê exemplos de perguntas e respostas para o estudo de provas;
-Diversifique a avaliação com métodos alternativos;
-Autorize uso de tabuadas, calculadoras e dicionários durante as provas;
-Leia a prova em voz alta e certifique-se que todos entenderam.”
Dessa forma a escola estará contribuindo para amenizar as dificuldades do disléxico.

Publicado em 16/10/2003 14:38:00


Eliane Pisani Leite - Psicologia – Psicopedagogia - Assessoria Escolar

Dê sua opinião:

Clique aqui: Normas para Publicação de Artigos

Do mesmo autor(a):

opinião

.Violência contra a criança
.Filmes infantis e o enrêdo de seus criadores
.Dislexia
.O que há por trás dos contos infantis
.Adolescência e escolha profissional
.Síndrome de super homem ou de Hobin Hood
.Comportamento: feriado de paulista
.O medo infantil
.Escola de atacado x escola de varejo
.A origem da escrita
.Memória: como entender e estimular
.Quando devemos fazer um psicodiagnóstico?
.É normal a criança se masturbar
.A Escola do Futuro
.É hora de férias
.Dificuldades Matemáticas e Dislexia
.A somatização em crianças
.Educação Infantil: Professor ou Professora?
.Condição Mulher
.É hora de férias!
.Fase Universitária
.Depressão Infantil

artigos

.Aumento da violência urbana x comportamento do brasileiro