Para imprimir este artigo sem cortes clique no ícone da impressora >>>
 

PERSONALIDADE: A INFLUÊNCIA DA PERSONALIDADE NA EDUCAÇÃO

Ana Lúcia Ângelo da Silva

RESUMO

Todo ser humano é um ser singular, (individuo) de maneira atraente, com comportamento imbuído de qualidades, defeitos e obstáculos a serem superados.

O comportamento dos seres é adquirido, em diferentes circunstâncias onde homem tem a possibilidade de aprender e ensinar, e a educação assume um papel importante na formação da personalidade.  E do ponto de vista genérico, é a maneira, pela qual um indivíduo age e reage, pensa e sente diante dos acontecimentos.

Daí a necessidade de ser, conhecer e reconhecer, sobre o comportamento como forma de ajudar os educadores a ter conhecimento sobre a influência e a importância dos temperamentos através dos relacionamentos intrapessoal e interpessoal no trabalho educativo.

 

Palavras chave: Personalidade, educação e família.

 

ABSTRACT

All human being is a singular being, (individuo) in attractive way, with imbuído behavior of qualities, defects and obstacles to be surpassed.

The behavior of the beings is acquired, in different circumstances where man has the possibility to learn and to teach, and the education assumes an important role in the formation of the personality. E of the generic point of view, is the way, for which one individuo acts and reacts ahead, thinks and feels of the events.

You give the necessity of being, knowing and to recognize, on the behavior as form to help the educators to have knowledge on the influence and the importance of the temperaments through the relationships intrapessoal and interpersonal in the educative work.

 

Key Words: Personality, education and family

 

1 INTRODUÇÃO

O interesse pelo estudo do comportamento humano já vem sendo desenvolvido há muitos anos pelos psicólogos. Desde então, as pesquisas psicológicas têm levado um vasto reservatório de conclusões sabiamente úteis aos que dela se utilizam no relacionamento humano.

Mas, mesmo assim, o estudo dos comportamentos ou temperamentos humanos ainda é desconhecido por muitos educadores.

Analisarmos o ser humano quanto ao seu comportamento e personalidade, estudando sua estrutura Influenciada pela educação e por seu comportamento com suas qualidades e defeitos observando através do ponto de vista genérico.

Fazendo uma análise e síntese de pesquisa bibliográfica relacionada com o tema, onde inicialmente aplicamos o método dedutivo e qualitativo e procuramos verificar a opinião dos mais diversos autores sobre o assunto.

Aplicando um questionário objetivo que serviu de amostragem, com alunos da FAMA-Faculdade Atenas Maranhense, e CESI, UEMA-Universidade Estadual do Maranhão.

 

2 FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

O homem é um ser eminentemente social. Isolado do convívio da sociedade, não poderia atingir seu pleno desenvolvimento intelectual, afetivo e moral, nem aperfeiçoar sua personalidade através dos bens espirituais que a vida social lhe oferece.

Segundo Jung, os aspectos conscientes do homem são, em geral, o pensamento e a sensação, enquanto que o sentimento e a intuição são reprimendos.”(SANTOS, 2000.p.113).

Para estudar a personalidade com seus comportamentos, muitas técnicas tiveram que ser inventadas e esta longe de se esgotar o rol de recursos que ainda serão empregados na tentativa de conhecer e por ventura intervir na personalidade humana. “A educação é a maior e a mais ampla agência criadora de comportamento e modeladora da pessoa. Está interessada em fazer novas cabeças e orientar nossa ação presente e futura.” (Teles. 2000. p. 116).

 

O orientador educacional pode fazer muito pela formação da personalidade do aluno, a atuação educativa do orientador consiste no que se chama de formação comportamental, que se desenvolve em um processo que se relaciona com a totalidade da estrutura do conhecimento.  Esse desenvolvimento é o processo essencial de cada ser humano. A família é merecedora de ser responsável juntamente com a escola por esse desenvolvimento comportamental, por serem de grande influência sobre a personalidade do aluno.

Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases) no seu Art 1º que dez: A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, mos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. (Lei nº 9.394 de 20/12/1996).

As características de personalidade são padrões duradouros da percepção relação e pensamentos acerca do ambiente e de si mesmo, e são exibidos numa ampla faixa de contextos sociais e pessoais importantes.

De acordo com a condição do ser humano, a suas necessidades sobre tudo as secundárias variam em forma e intensidade. Há portanto, uma estreita relação entre as necessidades do homem e seu comportamento.

O comportamento humano resulta de uma serie de fatores. Para compreendê-lo necessário se faz conhecer um pouco sobre a natureza humana bem como sobre a estrutura de sua personalidade.

“ A estrutura da personalidade é a base que se organiza e une entre si as diferentes condutas e disposições do individuo, é a organização global que dá consistência e unidade a conduta. A psicanálise afirma que esta estrutura esta formada por volta dos 4 ou 5 anos, Piaget coloca que a personalidade começa a se formar muito mais tarde, entre os 8 e 12 ano.”

(BOCK et. al. 1995 p. 115).

 

O comportamento é uma estrutura, isto é, uma totalidade resultante da união dos elementos que chamamos de situação. Todo comportamento pode se transformar com a repetição em hábito. Alguns hábitos se organizam em padrões de comportamentos, isto é, em formas prévias de comportamento ou de respostas utilizadas para várias situações diferentes. Os padrões do comportamento são, portanto, certas formas estabelecidas de agir e reagir, em casos parecidos. “A vida social se perpetua por intermédio da educação.

O que a nutrição e a reprodução são para a vida fisiológica a educação é para a vida social” (DEWEY, 2000, p 19).

Todos sabem, como é natural as pessoas reagirem de modo diferente as situações diferentes. Algumas pessoas quase nunca ficam preocupadas ou ansiosas, outras parecem intensamente angustiadas o tempo inteiro, e muitos ficam no meio termo. Assim existem, várias circunstâncias ou situações que fazem a diferença individual. O mais poderoso dentre os fatores determinantes do comportamento de uma pessoa é o seu temperamento influenciando na personalidade do indivíduo. Embora nossa herança cultural, a criação, a educação escolar, o meio ambiente e vários outros fatores deixam sua marca em nós, nada é mais importante que os traços do temperamento que temos desde o nascimento, pois ele determina nossas ações, reações e motivações. “O saber humano nasce da diferenciação do conteúdo e da provocação que a cultura nos coloca diariamente. Por isto, o pensamento, o simbolismo, a intuição e a sensação são aspectos diferenciadores dos seres humanos” (MOSQUERA, 1999, p 52).

A personalidade é um semblante externo de nós mesmo, que, pode ser ou não igual ao nosso caráter, dependendo de quão autênticos sejamos. Freqüentemente, a personalidade é uma fachada agradável para um caráter desprezível ou medíocre. O indivíduo aprende que se tem de viver em paz com o próximo, é preferível incentivar suas forças naturais e refrear suas fraquezas. “A educação é a maior e a mais ampla agencia criadora de comportamento e modeladora da pessoa. Está interessada em fazer novas cabeças e orientar nossa ação presente e futura”. (TELES, 1997, p116).

A personalidade, talvez, seja o fenômeno mais complexo estudado pelas ciências. E também o mais fascinante, porque todos nós desejamos nos conhecer e conhecer outras pessoas com as quais convivemos. Saber o que em nós distingue deles, talvez seja o mais constante desejo do homem. Conhecer nossas qualidades positivas e verificar nossos traços negativos é um trabalho diário que nos preocupa e incentiva. Enfim, a coisa mais importante para nós; é a nossa personalidade. “O ideário de que a personalidade não pode ser explicada simplesmente através de uma coleta de dados, mas ou menos consistentes, mas, adquire sentido no momento em imprimimos valor a estes dados.” (MOSQUERA, 1999, p 19)

 

3 CONCLUSÃO

Verificou-se com esse estudo que a influência da formação da personalidade na educação, forma-se através da participação direta e indireta que cada ser humano desde a mais tenra idade, tem no lar, na escola, no sistema de governo e no sistema de valores culturais.

Através deste levantamento, entende-se que cada ação praticada pelo homem tem uma razão de ser, pois o seu estado emocional interfere nas decisões, e no comportamento deste individuo.

Por isso devemos como educadores observar os nossos alunos, e procurar entendê-los, cada qual com suas particularidades, suas limitações a serem superadas e aplicar os nossos conhecimentos para a formação de um cidadão consciente, que possa colaborar com o crescimento intelectual da nação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

SANTOS, Theobaldo Miranda. Noções de Psicologia da Personalidadel: Ed. Nacional 2000.

H. S. N. Macfarland. Teoria Psicológica e Prática Eduacacional. Ed. Globo 2000.

BORGES, Inês Augusto. Educação e Personalidade: A dimensão sócio-histórica da

Educação Cristã. www.mackenzie.com.br em 31 de maio de 2006.

CHAULIEU, Luiza e RABORDIN, Celestina; A Educação para Influenciar os Homens: www.ipv.pt em 31 de maio de 2006.

TELES, Antonio Xavier. Psicologia moderna. São Paulo: Ática, 1997.

MOSQUERA, Jose Mourinho. Vida Adulta Personalidade e desenvolvimento.

Livraria Sulina Editora, 1999.

DEWEY, John, Vida e Educação, Edições melhoramentos, 2000.

Publicado em 21/07/2006


Ana Lúcia Ângelo da Silva - Bióloga

Dê sua opinião:

Clique aqui: Normas para Publicação de Artigos