Para imprimir este artigo sem cortes clique no ícone da impressora >>>
 

PESQUISA QUALITATIVA EM EDUCAÇÃO: REFLEXÕES

Warlen Fernandes Soares Maques

Ao buscarmos ampliar a compreensão a respeito do campo de conhecimento em Pesquisa Educacional, a abordagem qualitativa apresenta-se como a tentativa de uma compreensão detalhada dos significados e características situacionais apresentadas pelos entrevistados, em lugar da produção meramente quantitativa de características e comportamentos.

 

A pesquisa qualitativa surgiu a partir do trabalho em antropologia e sociologia. Sua inserção no contexto educacional, na década de 70 denuncia que os dados quantitativos precisavam de um novo olhar.

 

Contudo, as duas abordagens não se excluem. A abordagem quantitativa atua em níveis de realidade na qual os dados trazem à tona indicadores e tendências observáveis. A abordagem qualitativa realça os valores, as crenças, as representações, as opiniões, atitudes e usualmente é empregada para que o pesquisador compreenda os fenômenos caracterizados por um alto grau de complexidade interna do fenômeno pesquisado.

 

Uma crítica constante à abordagem qualitativa  diz respeito ao rigor do método utilizado, ou seja, à problemática da verificação de seus dados. Em outras palavras, os seus critérios de cientificidade são questionados.

 

De que critérios estamos falando?

Segundo DEMO (1986) os critérios internos são:

 

Coerência -       discurso logicamente construído;

Consistência -  qualidade argumentativa do discurso;

Originalidade -  contribuição do conhecimento;

Objetivação - abordagem teórico-metodológica de aproximação da realidade.

 

Para este autor há também um critério externo de cientificidade: a intersubjetividade, ou seja, “a ingerência da opinião dominante dos cientistas de determinada época e lugar de demarcação científica.” (p.17).

 

       

PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA

Percepção do fenômeno    

Percepção do fenômeno

Isolar casos 

Identificar propriedades

Observar seqüências, testemunhos, contexto             

Medir, correlacionar escalas

Selecionar casos                              

Conceituar população e amostras

Observar, entrevistar, registrar              

Selecionar situações p/ estudo

Determinar padrões, selecionar e classificar                   

Medir, comparar, explicar variância

Triangular, validar, interpretar       

Interpretar

Fazer estudos de caso ou relatórios        

Preparar tabelas, quadros, relatórios

Produto: compreensão com ênfase em generalidades

Produto: explicações enfatizando propriedades, população   

Adaptado de STAKE, 1983.

Bibliografia: DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1986. TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. STAKE, R. E . Pesquisa qualitativa/naturalista: problemas epistemológicos. Educação e Seleção. n. 7, jan/jun. 1983.

Publicado em 07/10/2004


Warlen Fernandes Soares Maques - Pedagoga, especializada em Psicopedagogia

Dê sua opinião:

Clique aqui: Normas para Publicação de Artigos

Do mesmo autor(a):

artigos

.Cyberbullying
.Considerações sobre a dislexia
.Faces e interfaces da avaliação em sala de aula
.O professor leitor: inquietações
.Avaliação no ensino superior: repensar para praticar
.Currículo: reflexões rumo a transformação
.A Psicopedagogia e a Crise dos Paradigmas Educacionais
.Avaliação Educacional: Trilhando novos caminhos

opinião

.Avaliação da aprendizagem e
.A Mídia e a Escola: Elos paralelos
.Avaliar é acolher
.Matemática: pra que te quero?
.Alfabetização: revendo concepções
.Pensar para além das disciplinas
.Planejamento como Atitude